Avelino Tavares

mdc_avelino

Em Dezembro de 1969 fundou no Porto a revista MC-Mundo da Canção, que cessou a sua publicação em Julho de 1985, mas ressurgiu em Junho de 1991 numa nova série de edições temáticas.

Desde o início dos anos 70, esteve sempre ligado à actividade musical nas mais diversas áreas, tendo sido o responsável, em tempos difíceis de resistência, pelos ‘Convívios MC’ na Galeria Alvarez, inaugurados com a presença de Manuel Freire e, que no dia 25 de Abril de 1970, contou com a presença de Vieira da Silva.

Avelino Tavares foi o editor da 2ª Série do jornal A Memória do Elefante – uma publicação que se impôs pela sua capacidade inovadora e interventiva – bem como de livros e de diversos trabalhos fonográficos.

Na Rádio Delírio (Porto) produziu e realizou o programa ‘Arca de Noé’, consagrado à divulgação das músicas de qualidade dos mais variados géneros e estilos.

A partir dos anos 80, iniciou uma intensa actividade de produção, organização e divulgação de espectáculos, e foi pela sua mão que várias salas da cidade do Porto receberam artistas tão importantes como: José Afonso, Leo Ferré, Paco de Lucia, Carlos Paredes, Atahualpa Yupanqui, Fausto, José Mário Branco, Gal Costa, Egberto Gismonti, Tete Montoliu, Martial Solal, Opus Ensemble, Maria João Pires, Colette Magny, Nara Leão, Astor Piazzola, Rui Veloso, Miles Davis, Pablo Milanés e Cesária Évora, entre muitos outros.

Em Novembro de 1981, abriu a “MC Discoteca” no centro do Porto, local obrigatório para a descoberta das músicas “marginalizadas” pelos circuitos comerciais dominantes, mas também ponto de encontro e de convívio por onde passaram grandes nomes da música portuguesa e estrangeira.

Em 1989, iniciou a sua actividade de importador e distribuidor no mercado nacional de importantes catálogos de música Folk, Étnica, Tradicional, Clássica, Contemporanêa, Jazz e Blues, entre outros e de revistas das áreas folk e tradicional.

Avelino Tavares é sócio fundador da Associação “Amigos do Coliseu do Porto” e em Agosto de 1995, foi um dos principais impulsionadores e participou activamente na luta pela defesa do Coliseu do Porto, como espaço de cultura e de espectáculo. É também sócio fundador da “Associação José Afonso” e do “Centro Artístico e Cultural Adriano Correia de Oliveira”. É ainda sócio efectivo da “Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto”.

Em Dezembro de 1998, participou na 1ª Assembleia Geral de Programadores “Teatros e Arenas” que se realizou no Rivoli – Teatro Municipal. E, em 2000, participou na 3ª Assembleia Geral de Programadores Culturais (Guimarães), foi sócio efectivo da Associação Portuguesa de Programadores Culturais, enquanto esta se manteve em actividade.

Entre os Festivais que produziu, organizou e divulgou contam-se:

· “Festival de Jazz do Porto”
· “Festival Intercéltico do Porto” – do qual foi também responsável pela programação das dezassete edições já realizadas.
· “Matosinhos em Jazz” – Em 1999, foi convidado a assumir a produção executiva, organização e divulgação da 3ª edição deste Festival Internacional, do qual realizou 7 edições.
· “Funchal Jazz Festival” – No mesmo ano de 1999, aceitou o convite da Câmara do Funchal para a realização deste evento até à sua 14ª edição.
· “Gaia Blues Festival” – Ainda em 1999 e em conjunto com o músico António Ferro, apresentou ao Pelouro da Cultura da Câmara de V.N. de Gaia este projecto que deu origem a quatro edições.
· “Praia Blues” – Praia da Vitória / Ilha da Terceira – Açores

Em Abril de 2000, assumiu a Direcção Editorial da colecção “Biografias MC” e lançou no mercado o primeiro volume “CARLOS PAREDES – A Guitarra de um Povo”. No ano seguinte é publicado o segundo volume da mesma colecção: “JOSÉ MÁRIO BRANCO – O Canto da Inquietação”.

Também em Novembro de 2002, lançou a colecção “MC- Poesia” com a edição de “Marginal (Poemas Breves e Cantigas) ” de Vieira da Silva.

Em Dezembro de 2005 editou o volume “Entrevistas MC”, que reúne algumas das entrevistas a personalidades do mundo da música, publicadas ao longo dos anos na revista MC – Mundo da Canção, como Carlos do Carmo, Adriano C. Oliveira, Fausto, Carlos Paredes, Rui Mingas, entre outros.

Em Março de 2008, produziu e programou o Festival “Noites de Fado”, que teve lugar no Teatro Colón/ La Coruña / Galiza e contou com a participação de Ana Moura, Jorge Fernando e Argentina Santos, entre outros.

Em Maio de 2009, organizou e produziu a primeira digressão de Patxi Andión em Portugal, que percorreu várias cidades do país: Figueira da Foz, Lisboa, Porto e Guarda, com concertos que obtiveram assinalável êxito.

A 29 de Maio de 2010, em parceria com o Núcleo do Norte da Associação José Afonso (AJA-Norte), participou na organização e produção do espectáculo evocativo do último concerto de José Afonso, realizado a 25 de Maio de 1983, no mesmo Coliseu do Porto, o qual também organizou.

No dia 27 de Novembro de 2014, juntamente com Luísa Amaro e Custódio Castelo, participou na homenagem a Carlos Paredes, integrada no festival “Guitarra d’Alma”, em Almeirim. Foi exibido o filme de Edgar Pera “Movimentos Perpétuos”, com música cedida pelo MC dos concertos de Carlos Paredes no Porto (Auditório Nacional Carlos Alberto).

Durante vários anos também exerce a actividade de agente de grupos pop-rock como: Psico, Arte e Ofício, Pesquisa, Roxigénio, Smoog, entre outros.